Estátua de Bento Gonçalves é novamente furtada na Capital

Menos de dois menos após o sumiço de uma placa do monumento equestre, criminosos roubam a obra que ainda resistia no local

Ao recolher ontem à tarde os pedaços de granito que ficaram no chão após um novo furto no Monumento a Bento Gonçalves, um funcionário da prefeitura ironizou a situação: “Agora só falta levarem o cavalo e o Bento”. É a síntese do mais recente ataque ao patrimônio histórico de Porto Alegre. O crime da vez, percebido na manhã de ontem, foi o furto da placa que restava na base da estátua. Uma placa similar, situada no lado oposto da base, foi levada por criminosos em março.

Cada peça de bronze furtada tem peso aproximado de 150 quilos. A suspeita do presidente da Comissão de Monumentos da Secretaria Municipal da Cultura, Sergio Tomasini, é de que o mesmo grupo tenha sido responsável pelos ataques. “Talvez tudo tenha sido encomendado”, especulou. Foi Tomasini o responsável por ir até a delegacia registrar o caso, que será investigado pela Delegacia de Meio Ambiente. O caso surpreendeu: “Levamos um susto. Estávamos mais tranquilos com essa placa porque havia uma moldura de granito, que ajudava a fixá-la melhor”, comentou Tomasini.

A placa furtada, modelada em 1935 por Antonio Caringi, mostrava um grupo de soldados do exército farroupilha e simbolizava a volta de uma batalha, segundo o especialista em gestão do patrimônio cultural José Francisco Alves. As placas acompanhavam o monumento desde sua inauguração, em 1936.

A (única) boa notícia é que estudantes do Laboratório de Design e Seleção de Materiais da UFRGS fizeram registros das placas com um scanner 3D no ano passado, o que poderá ajudar, no futuro, na reconstituição das peças.

Compartilhar

Deixe seu comentário