Tornado pode ter atingido o Rio Grande do Sul

Meteorologista não descarta a possibilidade de outros fenômenos

Ainda é cedo para determinar o fenômeno que atingiu o Rio Grande do Sul nos últimos dias. É o que constata o meteorologista da Somar, Celso Oliveira. Foram analisadas as imagens da região de Veranópolis, na serra gaúcha. Os bombeiros da região receberam aproximadamente 300 pedidos de ajuda em função dos danos causados nos telhados das residências pela chuva de granizo.

 

Apesar de não existir uma confirmação sobre o fenômeno que atingiu o estado gaúcho, o meteorologista afirma que existem duas possibilidades, um tornado ou uma frente de rajada.

 

O meteorologista explica também que um tornado vem sendo especulado, já que deixou rastro de destruição. Mas além disso, outro fenômeno também é cotado, por ser mais comuns no Brasil, as frentes rasgadas. Elas consistem em uma linha de instabilidade que se movimenta e provoca rajadas de vento em uma só direção. “Nesse caso, costuma ter uma destruição mais abrangente”, afirma.

 

Um ciclone extratropical está sobre o Rio Grande do Sul, provocando os temporais no estado. Nos próximos dias a chuva vai dar uma trégua, mas não por muito tempo. “A boa notícia é que a partir deste final de semana, a chuva dá uma trégua e teremos aproximadamente 5 ou 7 dias de tempo seco e temperaturas baixas”, explica Oliveira.

 

O volume das chuvas que atingiram o estado gaúcho estão acima da média normal. Segundo a Somar Meteorologia, em Porto Alegre já choveu 175 milímetros, o que significa um terço acima da média para o mês de junho. Os fortes ventos também chamam a atenção. O município de Soledade, que fica a 220 km da Capital, registrou rajadas de vento de 132 km/h. Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia, acima de 130 km/h já é considerado que houve um evento climático extremo na região.

Compartilhar

Deixe seu comentário