Poa trabalha em projeto de concessão do Parque da Harmonia

Estudo é baseado em pesquisa que aponta que 60% dos porto-alegrenses aprova a concessão para aproveitamento das áreas verdes da cidade

Atualmente, há apenas dois parques concedidos em todo o Brasil: nenhum deles em Porto Alegre. Mas isso deve mudar. Uma parceria da Prefeitura com o Instituto Semeia pode elaborar uma concessão para os Parques da Harmonia e o da Orla do Guaíba.

O diretor executivo do Instituto Semeia, Fernando Pieroni explica o acordo: “A ideia desse trabalho com a Prefeitura é nós desenvolvermos estudos que levem a um modelo de concessão para que atraia um parceiro privado e a gestão deste espaço. É sempre realizar estudos que precedem a publicação de um edital para firmar uma parceria com a iniciativa privada”.

O Instituto Semeia encomendou ainda uma pesquisa para avaliar qual a percepção dos moradores de Porto Alegre sobre a utilização e o modelo de gestão dos parques. Na pesquisa, a diferença entre privatização e concessão era explicada para o entrevistado antes que ele opinasse. O resultado foi que apenas 25% das pessoas declararam ser favoráveis a privatização, enquanto 60 % aprovam a possibilidade de concessão dos parques. Além disso, a falta de segurança apareceu como um dos principais motivos para não visitar esses espaços públicos.

Uma das medidas de segurança que já rendeu discussões em Porto Alegre é o cercamento das praças. Para Fernando Pieroni, essa não é a única alternativa para o problema.

“O cercamento de fato é uma possibilidade, um caminho para que se tenha o maior controle do acesso ao parque, que se saiba quem está entrando e saindo e que haja ponto de controle. Mas essa não é a única medida, você pode ter monitoramento de câmera, vigilância. De qualquer maneira, qualquer medida voltada ao aumento da segurança não pode inibir a visitação aos parques”.

50% dos entrevistados declararam que frequentam os parques pelo menos uma vez por mês. Em relação ao resto do Brasil, este é um número considerado alto. O perfil do porto-alegrense que visita os espaços é um pouco diferente dos outros brasileiros. Segundo a pesquisa, enquanto no resto do país a maioria das pessoas utiliza parques para praticar exercícios físicos, aqui na capital gaúcha os locais servem como ponto de encontro, passeio e contemplação.

Compartilhar

Deixe seu comentário