Direção do Grêmio irá se reunir com torcida para abolir cânticos com a palavra “macaco” do estádio

Clube foi denunciado no STJD por suposto caso de injuria racial, na partida contra o Fluminense

A denúncia contra o Grêmio, envolvendo um suposto caso de injuria racial de uma torcedora, na partida contra o Fluminense na Arena, foi repercutida pelo diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein.

Em entrevista, ao programa Band Esporte Show, o dirigente falou sobre a estratégia de defesa e considerou injusto o texto da procuradoria.

“Se este fato fosse denunciado na hora do jogo, os torcedores ajudariam a apontar o autor da injuria. Depois do jogo correr atrás é complicado para nós. Mas da mesma forma, estamos correndo atrás pra identificar o que aconteceu”. Afirmou o diretor.

O CASO

A suposta agressão verbal foi flagrada em um vídeo divulgado pela TV Fluminense. Ao registrar a comemoração do quinto gol da equipe carioca, marcado pelo atacante Yoni Gonzales, se ouve uma voz (aparentemente de uma mulher) gritando a palavra “macaco”.

O vídeo foi compartilhado diversas vezes em redes sociais. O momento da ofensa aparece aos 9min51:


O “HISTÓRICO”

Outro ponto muito rebatido por Hein, foi a relação traçada pelo procurador, entre o caso da última partida e o Caso Aranha, onde o Grêmio foi condenado à eliminação na Copa do Brasil, após ofensas ao goleiro do Santos, Aranha.

“Aquele caso foi de uma tremenda injustiça com o Grêmio. O clube identificou todos os agressores. Proibiu eles de voltarem ao estádio. Entregou as informações para as autoridades policiais...”, afirmou.

CANTICOS COM “MACACO”

Durante a entrevista, Hein também comentou sobre a necessidade de que se encerre a utilização deste termo nas arquibancadas. A Geral do Grêmio, utiliza a expressão em algumas músicas, se referindo a torcedores do Inter como “macacos”. O dirigente acredita que a expressão não surgiu com o intuito racista, mas admite que ela pode gerar especulações a respeito.

“Não adianta dizer que não é com o intuito de ofender. Esta expressão precisa ser abolida da vida comunitária do Grêmio. Ela desgasta o clube...”, declarou.

Uma reunião entre representantes da torcida organizada e a direção gremista, deve alinhavar o fim dos cânticos com a palavra, em jogos na Arena. “Para resolver isto é muito fácil. Quem são os responsáveis por puxar os cânticos? Vamos sentar e negociar isto. Tenho certeza de que estas pessoas vão entender e colaborar conosco...”, disse Nestor.

A DENÚNCIA

O departamento jurídico do Grêmio se mostra tranquilo, quanto a defesa. A pena pode ser uma multa de R$100 a R$100 mil. A perda de pontos ou perda de mando de campo está praticamente descartada.

“Isto está completamente descartado. Mas mesmo que seja uma smples advertência para o Grêmio, ou uma multa. Isto faz mal para o clube. Devido ao trabalho que a gente realiza contra o racismo. A história do Grêmio é construída por diversas pessoas negras.”

fe

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA COM DIRETOR DO GRÊMIO, NESTOR HEIN: 

Compartilhar

Deixe seu comentário